My Emo Heart

O seu portal de música alternativa preferido.
Ways.: Banda de Alt Metal/Post Hardcore fala sobre novo EP, cena metal na França e muito mais!

Ways. é uma banda de Metal Alternatif/Post Hardcore de Paris, França. Misturando diversas influências e estilos musicais, Ways. oferece uma música poderosa, dinâmica e melódica próxima ao metal alternativo e pós-hardcore. A banda é mais influenciada por bandas como Architects, Alexisonfire, The Ghost Inside, Thrice, Underoath e muito mais.

Depois de lançar dois EPs de produção própria (Watching From Afar em 2016 e Aftermath em 2018), Ways. tomaram um rumo mais incisivo e impactante, apresentando uma nova versão do single «So Far So Good» (nova versão em 2022), produzido por Nicolas Exposito da Landmvrks. Em fevereiro de 2023, Ways. retornaram com seu novo single «Why do We Fall?» mais uma vez produzido por Nicolas Exposito. Este single ganhou atenção significativa da mídia nacional e internacional, incluindo vários recursos editoriais de playlists do Spotify. Um segundo single, «ERASE» foi lançado em julho de 2023. O último single do EP, intitulado «World Worn Out» foi lançado em 9 de fevereiro de 2024. Agora a banda compartilha o EP completo “ARE WE STILL ALIVE?” em todas as plataformas de streaming, ouça aqui!

ARE WE STILL ALIVE?: https://open.spotify.com/intl-pt/album/3QMa7JW51VYKEzCk9kNpG7

World Worn Out (Official Music Video)

 

Nesta entrevista conversamos com a banda sobre suas inspirações musicais, sua história, a cena metal francesa e muito mais. Confira abaixo!

Você pode me contar uma breve história da banda; onde vocês todos se conheceram? 

Nico: A banda está ativa desde 2016. Bruno (guitarra) e eu somos irmãos e tocamos juntos há muitos e muitos anos. Clément (vocal) juntou-se à banda em 2015 e após vários anos a formação mudou na secção rítmica com a chegada de Etienne na bateria e Anthony no baixo. O nome da banda é sobre direção, o caminho a seguir para encontrar algumas soluções e seguir em frente sempre. Nada está bloqueado, sempre há um caminho, uma alternativa para seguir em frente. Encontramos esse nome no início deste projeto. A ideia era encontrar um nome curto que falasse sobre direção e solução alternativa para encontrar um caminho e seguir em frente. Caminhos. foi a escolha perfeita.

Fale um pouco sobre esse novo EP e o que ele significa para todos vocês como banda. Como foi compor esse álbum? 

Nico: Começamos a trabalhar neste EP durante a Covid. Tivemos que aprender a trabalhar remotamente para avançar na composição e nos arranjos das músicas. Compusemos muitas músicas, mas com o tempo e com as mudanças na formação, mantivemos apenas algumas. A fase de composição demorou um pouco mais que o normal. Nós realmente queríamos garantir que cada novo membro da banda pudesse trazer seu próprio universo e ideias para a mesa. Começamos a trabalhar com Nicolas Exposito (Landmvrks) nos produtos do EP. Nicolas produziu 3 faixas do EP e, devido a limitações de tempo, acabamos trabalhando com Robin do Resolve. Nós realmente gostamos de Landmvrks e Resolve, e estamos muito felizes por poder trabalhar com dois membros dessas bandas na produção de nosso novo EP. “Ainda estamos vivos?” é uma pergunta que nos perguntamos regularmente sobre a situação da banda nos últimos três anos. Entre os dois anos de crise do COVID que nos impediram de nos vermos, ensaiarmos e tocarmos ao vivo, as mudanças na formação e certas mudanças na vida de alguns dos membros da banda que impactaram a forma como trabalhamos, compomos e gravamos, nós’ Passei muito tempo esperando e encontrando soluções para continuar. Estamos orgulhosos de estar aqui e lançar este novo EP. Claro que os diversos temas abordados pelas músicas deste EP também vão ao encontro desta questão.

Quais são as três palavras para descrever o lançamento deste álbum?

Nico: Intenso, Vivo, Zangado.

O que inspirou este álbum? Nico: Nossas principais inspirações na hora de escrever as primeiras músicas foram bandas que o Bruno e eu amamos muito. Bandas como Counterparts, The Ghost Inside, Poison The Well e Norma Jean. Depois, com o passar do tempo, foram feitos arranjos, acrescentados ou retirados trechos das músicas, tudo evoluiu. Mas sim, somos muito influenciados por essas bandas na nossa abordagem criativa.

Se você tivesse que escolher uma faixa deste álbum para um novo ouvinte conferir, que música seria e por quê? Nico: Não é uma pergunta simples. Cada música tem sua própria atmosfera e alma. Gosto muito de todos eles, mas se tivesse que escolher um, diria World Worn Out. É o nosso último single e reúne muitas coisas que amamos na música. É nervoso, melódico e descolado, tudo ao mesmo tempo.

Qual é a ideia por trás da arte do álbum?

Nico: É uma mensagem de mão dupla. Primeiro, é uma mensagem sobre a nossa situação. Já estamos aqui há algum tempo e, apesar de todas as coisas boas que fizemos, passamos por muitos momentos difíceis. É evidente que gastamos muito tempo nos adaptando e encontrando soluções para continuarmos avançando. Quando a Covid apareceu, tivemos 2 anos muito complicados e nos perguntamos diversas vezes: ainda estamos vivos como grupo? Ainda queremos ir ainda mais longe? Claramente, sim. E é também uma mensagem sobre o nosso mundo, a nossa sociedade e a nossa relação uns com os outros e com outras espécies que vivem neste planeta. Escolher um símbolo como a santa muerte é uma forma de abraçar esta ideia de espiritualidade, de questionar a nossa continuidade de existir apesar da impressão às vezes que já não conhecemos, mas também uma ideia de sabedoria. Este símbolo depende muito da escolha do título do EP.

Como é a sua cena local? Que outras bandas da sua região deveríamos ouvir?

A cena local na França é incrível. Claro que não precisamos de mencionar bandas como Landmvrks, Resolve, Ten56 ou Ashen, mas num nível menos conhecido, a cena francesa é uma loucura. Por exemplo, eu encorajo você a conferir bandas como Lies We Sold (da qual Anthony é vocalista), Colossus of Destiny (onde Etienne também toca bateria) e outras bandas realmente ótimas como While Oceans Burn, Revnoir, a bitter end , PROSAÏC, Everaged. e muito mais.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.